Grande parte dos produtos fracassa. Muitos não sobrevivem um ano no mercado. Há estatísticas alarmistas que colocam uma taxa entre 75% a 90% de insucessos. Muitos continuam por capricho ou paixão do gestor, orgulho no catálogo e vergonha nas vendas. Esse ciclo se estende às marcas, negócios, ideias e empreendimentos. Dar errado começa quando sequer você foi percebido. Chegou em uma festa já lotada e ninguém nota sua presença. Nem sua ausência.

Chamar a atenção não é tarefa fácil. Nunca foi, hoje muito menos. No princípio do marketing a disputa por atenção era infinitamente menor. Agora ela se tornou uma barreira maior que divide àqueles que ficam dos que avançam. Vale para o professor em sala de aula, para aquela cidade que deseja ser destino turístico, para a nova igreja do bairro. Se não tiver atenção do seu público, o resto todo pode ser jogado fora. De nada adiantará um belo serviço, pessoas atenciosas para atender, a grana gasta com o arquiteta para montar o restaurante. Você continuará o invisível na festa. E ninguém conversa com aquele que não se vê.

DSC00479

Captivology (em português, O Poder da Atenção), livro de Ben Parr, foi escolhido ano passado como um dos melhores livros de marketing pela Strategy+Business Magazine. Nele Parr sugere que há 7 melhores estratégias para atrair seu público:

Agente das reações automáticas: estímulos sensoriais (cores, sons, símbolos) para provocar respostas automáticas. Olhe para o site da Amazon e vai encontrar diversas pistas deste agente te provocando atenção.

Agente do enquadramento: transforma uma visão de mundo por adaptação ou mudança para que as pessoas olhem para você. Escute Donald Trump falando é você irá perceber que as palavras escolhidas são para moldar uma visão que desperte o público.

Agente da ruptura: surpreende e subverte expectativas do público para mudar aquilo que prestam atenção. A recente campanha da Nextel utilizando Junior e Daniela Cicarelli falando sobre as dores de suas carreiras surpreendeu rompendo o uso tradicional de celebridades.

Agente da recompensa: joga com influências envolvendo recompensas extrínsecas e intrínsecas. Os sites de reserva de hotéis utilizam diárias grátis para manter você atento e vinculado à plataforma.

Agente da reputação: especialistas, autoridades e sabedoria popular têm reputação para gerar confiança e conquista do público. Cremes dentais, colchões, rações caninas e sites de e-commerce usam profissionais respeitados ou popularidade para atrair sua atenção.

Agente do mistério: incerteza, suspense, mistério mantém o engajamento do público. Mais de 60% dos usuários do Netflix assistem mais do que 2 episódios por vez.

Agente do reconhecimento: cria uma conexão profunda, porque as pessoas querem prestar atenção àqueles que as compreendem. A longevidade da carreira de Madonna na efemeridade do mundo pop está ligada à compreensão de tendências e momentos de seu público-alvo e reconfiguração de sua figura para eles.

Atrair a atenção envolve sair do lugar comum da categoria, combinando os agentes acima para trazer os olhos do público para você. Deixar de ser um insignificante na multidão envolve coragem. Neutralidade é sinônimo de não atenção. Dizer o mesmo que outros já dizem ou não dizer nada somente vai te garantir um lugar bem quente. No inferno dos negócios.

Felipe

 

 

 

 

 

Felipe Schmitt-Fleischer

http://www.felipefleischer.com

Post to Twitter