Pare e pense um pouquinho na quantidade de coisas que você já reclamou hoje. O trânsito está ruim, as ruas estão esburacadas, a internet não está funcionando, a encomenda não chegou, o cliente não fez o depósito, e assim vai.

Diariamente reclamamos sobre as mais diversas coisas. Reclamamos com razão, mas muitas vezes reclamamos por diversão. Sim, já se tornou parte da nossa rotina reclamar, e reclamar mais um pouco. Parece que alivia o stress, e por incrível que pareça, conseguimos nos unir e ficar mais próximos de outras pessoas que reclamam o mesmo que nós.

Tem gente que usa o twitter ou o facebook como uma máquina de reclamações. Ali, colocam todas as raivas para fora. E com alegria, esperam as mais diversas pessoas retuitarem os seus comentários ou marcarem curtir. Então suspiramos e pensamos, ufa, que legal, não sou o único que odeia essa coisa.

Eu também sou um pouco assim. Comentários sobre a BR116 fazem parte do meu histórico no twitter e facebook, mas ultimamente tenho tentado ser um pouco mais boba alegre.

Na verdade, eu sempre fui um pouco boba alegre, sempre olhei o mundo com os olhos de criança. No entanto, fui crescendo, fui me adaptando ao mundo adulto e fui perdendo um pouco dessa alegria, dessa admiração pelo mundo e fui me perdendo no mundo das reclamações, do desgosto, do ruim, do pior.

Eu sigo diferentes pessoas no twitter e algumas comunidades. Uma delas, se chama Unisinos Deprê. Acho importante ver o que os alunos estão reclamando sobre o local onde eu trabalho, acho mais interessante ainda, ver a forma como reclamam. Sou super a favor de críticas, mas de críticas construtivas. Acho que muitos, ainda não entenderam o que significa criticar, e fazem uso da critica de forma avassaladora, o que eu chamo de critica destrutiva.

Acho divertidíssimo os comentários sobre a temperatura da univesidade, de como os patinhos do lago foram parar em outra cidade por causa da ventania, ou os conselhos para usarmos galochas devido as chuvas. No entanto, lendo algumass reclamações pesadas, fico pensando que alguns alunos estão se perdendo nesse mundo cinzento e estão esquecendo de ser um pouco mais bobos alegres. Será que tem tanta coisa assim para reclamar? Ou será que é divertido reclamar e ver seu nome ali retuitado para várias pessoas? E, mais ainda, o que será que tem para elogiar, apreciar?

Assisti um vídeo do TED nesse final de semana, sobre um rapaz que criou um blog chamado 1000 Awesome Things (1000 coisas fantásticas/maravilhosas). Quando a vida dele estava uma merda, ele resolveu criar esse blog para se lembrar de todas as coisas AWESOME, fantásticas que vivemos a cada dia. Exemplos como:  encontrar uma nota de 20 reais dentro de um casaco, ser o primeiro da fila no supermercado, o cheiro de bolo saíndo do forno, a ligação que tanto se esperava, banho de chuva em um dia quente, um dia de sol depois de tanta chuva.

Contei essa história para uma amiga e foi então que o termo bobo alegre apareceu. O título desse artigo é uma homenagem à ela. Essa minha grande amiga, disse que achava que ser assim é ser meio bobo alegre. Será? Se for, então eu sou boba alegre, e feliz.

Pois bem, então depois de tudo isso, resolvi criar um novo twitter para mim. Mas agora um chamado @Uni_awesome. Convido todos os meus alunos, alunos da Unisinos, funcionários e professores a participarem desse twitter e contarem um pouco daquilo que gostam desse local que faz tão parte da nossa vida, do nosso dia a dia. Às vezes, passamos mais tempo lá do que na nossa própria casa, então que tal compartilhar as coisas que gostamos desse lugar e que achamos AWESOME!!!

Convido você a fazer o mesmo sobre o seu local de trabalho. Ok, não precisa criar uma conta no twitter, mas pode ser uma listinha pessoal. Uma coisa para cada dia, até o final do ano. Garanto que será bacana descobrir como existem coisas que te agradam e que você nem lembrava. Mudando a perspectiva com que encaras as coisas não quer dizer que os problemas deixarão de existir, ou que eles não deverão ser considerados e melhorados, mas a sua vida será mais alegre, mais tranquila e melhor.

Aline Jaeger

@aline_jaeger

Pensadora Mercadológica

Quer receber os textos por e-mail? Na página principal, nos informe seu e-mail e receba as ideias e provocações dos pensadores mercadológicos.

Gostou do que leu? Espalhe as boas ideias: conhecimento se compartilha!

www.pensadormercadologico.com

www.facebook.com/pensadormercadologico

www.twitter.com/blogdopensador

Post to Twitter